ML Administradora

Comportamento Canino Mitos e Verdades

3 de março 2020

Notícias | 0 Comentário(s)

Comportamento Canino Mitos e Verdades

Bem-vindos ao século XXI. A era do Cão Urbano. Já são mais que 40 milhões de cães só no Brasil! 1 para cada 5 habitantes.

Estamos vivendo aglomerados em grandes cidades, cada vez maiores, cada vez mais populosas. Os cães, se tornaram quase humanos. Comem, dormem, brincam e tem as mesmas regalias que nós humanos. E muito mais.

O Cão, é um exemplo de fidelidade, companheirismo, verdade e companhia vitalícia.

E nós, em nosso respeito e admiração por eles, geramos lojas, boutiques, médicos, clínicas, alimentos, brinquedos etc. Tudo por eles, tudo pela felicidade deles!

Mas então, por que estamos vendo o aumento dos casos de infelicidade canina, rebeldia canina, doenças caninas, agressividade canina, reatividade canina e tudo mais? Se nós damos tudo para eles, por que eles são tão ingratos?

Pois bem, pelo mesmo motivo que nós os amamos: cães, não tem vínculo real com todas essas coisas que construímos! Cães não tem apego material com nada! O apego deles por nossos brinquedos e petiscos, é uma felicidade passageira e superficial.

E por isso, por mais absurdo que possa parecer, o cão mais feliz que existe na cidade grande, é aquele que é adotado por um morador de rua! Pois, apenas o morador de rua, tem condições de dar a ele o que sua biologia e psicologia natural requerem!

Como assim?

Veja bem, a gente paparica, ama, brinca, dá carinho, brinquedos, rações etc., mas em sua biologia e psicologia, os cães seguem sendo cães! E apesar de parecerem humanos, mais propriamente crianças, seguem sendo cães, e é nesse detalhe que vive o grande perigo dessa relação Cão-Homem. E é também onde mora a grande causa-raiz de todos os problemas e patologias que temos visto em cães urbanos.

O Cão, segue tendo algumas necessidades que nós humanos não temos mais, como marcar território com a urina, roer coisas aleatórias, caminhar grandes distâncias diariamente, ou estar em contato constante com outros cães e não apenas com humanos.

Sabe aquele cão que você diz “Meu cão não gosta de cachorro, ele sempre que vê um quer atacar e brigar”. Pois é, isso é nada mais que uma frustração, um conflito entre o psicológico e o biológico do cão. Esse mesmo cão, foi afastado da mãe com menos de 60 dias de seu nascimento e criado como um humano. Agora, sua psicologia é humana, mas sua biologia será sempre canina. Mesmo assim, nós humanos, ignorantes no que diz respeito ao universo canino, vamos dizer “meu cão é assim, antissocial. Eu conheço meu cão melhor do que ninguém”. Mas nós sabemos que isso não é verdade. A verdade é que o Cão é, e sempre será, um ser canino-social. Em outras palavras, cão precisa socializar com cão. Mesmo que ele tenha milhões de humanos a seu redor, a necessidade biológica dele é de socializar com sua espécie.

Sabe aquele cão que você diz “meu cão não gosta de caminhar, ele prefere ficar em casa o dia todo”. Pois é, isso é nada mais que preguiça canina, ou ainda pior, tristeza e confusão canina. Ué, mas cão sente preguiça e tristeza? Pois sim, ele é um animal assim como a gente, e quando não há pelo que lutar, até a gente fica preguiçoso. Quando privados de lazer, aventura e contato, ficamos tristes. Por que o cão seria diferente? A única diferença, é que a tristeza do cão é silenciosa e a grade maioria de nós não está treinados para perceber, até que seja tarde demais. Você vai dizer, “meu cão não se enquadra, ele é um cão de raça pequena, que tem focinho curto, e não gosta de caminhar”. Mas nós sabemos que isso não é verdade. A verdade é que o cão é, e sempre será, um nômade. Em outras palavras, o cão precisa caminhar, todos os dias, por longas distâncias, independente da raça, tamanho ou sexo. Está na natureza dele, e não é nossa opinião que pode mudar isso. É uma questão de sobrevivência.

Sabe aquele cão que você diz “meu cão é inteligente, ele sobe na mesa, abre portas, pega meu chinelo, parece gente”. Pois é, isso é nada mais que falta de um líder na matilha. Pois todos os cães são inteligentes, cada um no seu nível. Os cães possuem uma capacidade alta de aprendizado, rápido e efetivo, e isso não é exclusividade de uma raça, idade ou pelo fato de ser seu cão. É a natureza de sobrevivência deles, similar a nossa. Porém, imagina como seria o nosso mundo se não houvesse lideranças, regras, leis? Nossa inteligência e capacidade de aprendizado seria nada mais que nossa própria destruição. Mas com os cães, a gente acha “bonitinho”. É aí que mora o perigo. Cão foi feito para ser líder ou liderado, alfa ou beta, macho ou fêmea. Essas pequenas atitudes, se não confrontadas por um líder canino, ou na ausência de um líder canino, por um líder humano, irão pouco a pouco desencadeando atitudes cada vez mais dominantes, até que a convivência com seu cão se torne insustentável. Em outras palavras, a natureza do poder canino é baseada em “dominância”. Logo, se você não se levantar como o líder da casa, o cão será esse líder, e isso é o começo do caos.

Trocando em miúdos, as 3 regras básicas do universo canino, queira você ou não, são estas:

O cão é um ser canino-social:

  • O seu cão precisa estar em contato constante com outros cães.
  • Se ele não está tendo contato com outros cães, por qualquer motivo, isso precisa ser revisto o quanto antes.

O cão é um ser Nômade:

  • O seu cão precisa caminhar TODOS OS DIAS, no mínimo 2x por dia, por períodos de no mínimo 30 minutos cada saída. Isso pode variar de raça para raça, idade para idade, porte para porte, mas não existe isso de “meu cão não precisa passear!”. Isso é desculpa nossa, que só gera agonia e frustração para o cão.
  • O Ritmo do passeio deve ser o do cão, e não o do ser humano. Eles caminham mais rápido do que nós, então sim, você terá que andar rápido, ou dependendo do cão, correr!

O cão é um ser Dominante:

  • Ou você se torna esse líder em casa, ou ele se tornará. E como ele aprende muito mais rápido do que nós, em questão de semanas, ele poderá ser o rei da casa. E se você está pensando em doa-lo, abandoná-lo, pense em contratar um profissional para ajudar a reeducá-lo. E se reeducar também!
  • O cão ser dominante, não significa que é um cão ruim, perigoso ou “matador”. Significa apenas, que no ambiente que ele reside e convive, ninguém é mais dominante do que ele. Sim, o problema está com o humano, não com o cão. O cão está só sendo cão.

Claro que existem inúmeras outras regras caninas e poderíamos escrever mais um livro, entre os muitos que já existem. Mas se nós, seres-humanos urbanos, pudermos começar observando, nos reeducando nos 3 pontos acima, é possível afirmar que mais de 90% de todos os casos de cães urbanos problemáticos serão resolvidos.

Então, deixe um pouco de lado aquilo que “você sabe sobre seu cão” ou ainda, a sabedoria popular sobre o cães, que é tão útil quanto as notícias de um jornal velho, e aceite o convite para se educar em como ele realmente é, e como funciona sua dinâmica, sua biologia e psicologia.

Aceite novos paradigmas, como o que diz que ter uma casa, carinho e conforto é importante, mas não o essencial. Que um cão bravo, não é um cão ruim é um cão normal, que ainda não foi socializado e educado. Que brinquedos e petiscos ajudam, mas que representam menos que 5% do que o cão precisa para ser feliz!

Não deixe para depois a felicidade do seu cão. Cuide dele 360º graus, desde a comida, até o passeio. Ele certamente, nunca deixou a sua felicidade para depois.

Cão Carioca! Cão feliz, dono feliz, cidade feliz.

Nossa missão: Educar o cão e instruir o dono, juntos.


Nenhum comentário

Deixe o seu comentário!

Cadastre-se para receber novidades:

ML, SUA ADMINISTRADORA DE VERDADE!